sábado, 27 de março de 2010

Visite a cidade de Guarda-Mor/MG


Ao Guardamorense Pedro Antônio peço licença para postar uma das mais belas músicas que retrata com perfeição esta cidade hospitaleira, maravilhosa e cheia de encantos.





Música: Um Lugar

Compositor: Pedro Antônio.

Há um lugar que você não conhece
Longe do mar, mas bem perto do céu
Tem um luar, dá pra contar as estrelas
Nesse lugar não precisa Ter sonhos
Basta colher o que a terra nos dá
E semear novas canções de ninar


Lá nesse lugar, não há nenhum lugar para a tristeza
Sob aquele céu, eu tiro meu chapéu pra natureza
Na água cristalina do riacho pequenino que se vai
Eu lanço a minha voz e vou agradecer tudo ao meu pai

Lá tem um mel de jataí,
A vida é doce sem igual
Tem sabiá, tem juriti
Fruta fresquinha no quintal
Tem vaga-lume que clareia
Em lua cheia, lobo guará
Você sabia que um dia teve até jacarandá (tamanduá)

Se você quer, vou te levar
Prá ser feliz em guatapará
Um Guarda-Mor cuida de lá
Um Guarda-Mor cuida de nós.

Reflexão do texto - Navegar no ciberespaço- Lucia Santaella

Navegar no ciberespaço:

O  texto “Navegar no Ciberespaço”, de Lucia Santaella , analisa o processo de três tipos de leitores, o contemplativo, o fragmentado e o leitor virtual. O primeiro, que é o leitor contemplativo, meditativo da idade pré-industrial, o leitor da era do livro impresso e da imagem expositiva, fixa. Esse tipo de leitor nasce no Renascimento e perdura hegemonicamente até meados do século XIX e tem diante de si objetos e signos duráveis, imóveis, localizáveis, manuseáveis: livros, pinturas, gravuras, mapas, partituras. Um leitor que contempla e medita. O segundo é o leitor do mundo em movimento, dinâmico, mundo híbrido, de misturas sígnicas, um leitor que é filho da Revolução Industrial e do aparecimento dos grandes centros urbanos: o homem na multidão. Esse leitor, que nasce com a explosão do jornal e com o universo reprodutivo da fotografia e do cinema, atravessa não só a era industrial, mas mantém suas características básicas quando se dá o advento da revolução eletrônica, era do apogeu da televisão. É o leitor apressado de linguagens rápidas e objetivas. O terceiro tipo de leitor é aquele que começa a emergir nos novos espaços incorpóreos da virtualidade. O leitor virtual navega numa tela interagindo com palavras, imagens, documentação, músicas, vídeos e etc. Não é mais um leitor que segue as páginas de um livro manuseando-o com as mãos, virando página por página, percorrendo as estantes e corredores de uma biblioteca e sim um leitor pronto para contribuir com o mundo do ciberespaço.

Mostravídeo em Belo Horizonte e Curitiba



De abril a novembro, quem estiver em Belo Horizonte ou em Curitiba terá a oportunidade de conhecer produções audiovisuais inovadoras.
A Mostravídeo deste ano traz trabalhos feitos por cineastas, artistas plásticos e documentaristas que exploram diferentes formatos e narrativas para o cinema.
Na primeira sessão de cada cidade, o cineasta e professor André Costa e o pesquisador de cinema João Dumans, curadores do evento, participarão de uma palestra inaugural. Não perca!
Para conferir os trabalhos que fazem parte da seleção de abril e suas sinopses, acesse o blog da mostra.


abril de 2010
Belo Horizonte (MG)
quartas 7, 14 e 28 às 19h30
Palácio das Artes - Cine Humberto Mauro
avenida afonso pena, 1537
fone 31 3237 7399 31 3237 7399

Curitiba (PR)
quintas 1, 8, 12, 22 e 29 às 19h30
Sesc Paraná - Paço da Liberdade
praça generoso marques, 189 - centro
fone 41 3234 4200 41 3234 4200
entrada franca
[ingressos distribuídos com uma hora de antecedência]
imagem: frame de Uma História do Vento (Joris Ivens e Marceline Loridan Ivens)

quarta-feira, 24 de março de 2010

Inteligência Coletiva

Inteligência Coletiva segundo Pierre Lévy
Ao ler os textos do livro de Pierre Lévy, a expressão inteligência coletiva parece com algo parecido como um cérebro gigante, capaz de tomar decisões a partir do conhecimento adquirido e compartilhado por diversas pessoas, e esta opinião não está muito distante da teoria do pesquisador e escritor francês Pierre Lévy. Trata–se, sem dúvida, de uma interpretação ímpar. Mas, simbolicamente, é isso mesmo. Para ele, a inteligência coletiva (IC) é, basicamente, a partilha de funções cognitivas, como a memória, a percepção e o aprendizado. “Elas podem ser mais bem compartilhadas quando aumentadas e transformadas por sistemas técnicos e externos ao organismo humano. Porém, o escritor deixou claro que a IC não é só isso: “ela só progride quando há cooperação e competição ao mesmo tempo”. “É do equilíbrio entre a cooperação e a competição que nasce a IC”. A inteligência coletiva desenvolveu–se à medida que a linguagem evoluiu. A disseminação do conhecimento acompanhou a difusão das idéias através dos discursos, da escrita como exemplo: (”posso, hoje, ler Aristóteles, mesmo que ele tenha escrito uma obra há mais de dois mil anos”) e da imprensa (”quanto mais os meios de comunicação se aprimoram, mais ganha à inteligência coletiva”). Hoje, o mundo é diferente. É novo, fascinante, e como dizem os jovens sinistro.... “O mundo dos pensamentos é o ciberespaço, que permite a interconexão”. A IC é fruto não apenas dos estudos e sim da atual mudança tecnológica e social. Para Lévy a IC pode ser de três tipos e comparo com os três pilares de estudos do mundo, pode ser técnica, que é tratada de forma concreta, tipo uma engenharia, a conceitual que é o conhecimento abstrato, pelas artes e matemática, e a emocional que envolve a ética, a moral e o direito. O papel da internet é fundamental para o funcionamento desse sistema. “O ciberespaço é a principal fonte para a criação coletiva de idéias, de forma que elas sejam usadas para o bem de todos, através da cooperação intelectual”. Podemos pensar então, que se for estudado cada uma destas idéias em conjunto o resultado seria a construção de uma sociedade melhor, através da internet e dos pensamentos da humanidade, dando a todos que possuem o acesso a este “mundo” um olhar holístico sobre a evolução da comunidade humana.



terça-feira, 23 de março de 2010

Saber ouvir

“Saber escutar é uma arte! Nem sempre as pessoas querem pareceres sobre suas partilhas, simplesmente querem ser ouvidas” (Anônimo).

terça-feira, 16 de março de 2010

Helpdesk- O computador pifou...

Helpdesk

O Pc fifou
Numa manhã de sábado Dana se levanta, faz suas atividades de rotina e se dirige para seu computador a fim de colocar sua vida em dia. Dana liga o seu computador na tomada, é claro que pra ligar liga na tomada, liga a fonte, a CPU e ???

Computador – pipipipipipipipipipipi

Dana – xixixixixixixixixixixixixi Meu Deus!!!

Dana - desliga o pc novamente

Dana- liga o pc novamente

Computador- pipipipipipipipi

Dana – xixixixixixixixixixixi Meu Deus!!!

Dana- desliga o pc novamente

Dana- liga o pc novamente

Computador- pipipipipipipipi

Dana – petecou de vez... e agora???

Dana- preciso de ajuda... hum hum ... preciso de um Helpedesk

Dana- pega o celular e localiza o Helpdesk

Dana – Alô, oi como vai?

Helpdesk – Comigo tudo bem e seu computador não vai bem?

Dana- Como você sabe que ele não vai bem?

Helpdesk – Porque você me ligou...

Dana – Ah! Ta... é mesmo..

Dana – então o computador fez pipipipipipipipi

Helpdesk- Pode ser daqui meia hora

Dana – Pode sim, aguardo

Intermináveis minutos para Dana depois...

Toc Toc Toc

Dana atende a porta.

Dana – Oi é você... que bom que veio... entre

Helpdesk- É aquele barulho igual da outra vez?

Dana- sim

Helpdesk- Não teve coragem de abrir?

Dana- Não, morde.rsrsrsrs

Helpdesk- Vou abrir então –

Helpdesk – uhmuhmuhmuhmuhm

Dana – O que?

Helpdesk – rsrxvhlodluelodjoho

Dana ???????????? que??

Helpdesk – urkodyrujfhnvbmiknbccfrd

Dana – uhmuhmuhmuhmuhm

Helpdesk- Prontinho!! Prontinho

Dana- E ai?

Helpedesk- Ah! Nada não!! Quando acontecer de novo, me liga.

Dana- Quanto é?

Helpdesk - $ 10,00

Dana – Aham?

Helpdesk – pela visita

Dana- Ah! Obrigada

Helpdesk- Não há de que...

Dana - ?????? cara de boba

Inscrições abertas para o Rumos Itaú Cultural 2010‏



Estão abertas as inscrições para quatro editais do programa Rumos Itaú Cultural 2010: Literatura, Pesquisa, Música e, pela primeira vez, Teatro.
O Rumos faz parte das ações permanentes da instituição desde 1997, como um programa de fomento à produção artística e intelectual do Norte ao Sul do país.
As inscrições, gratuitas e feitas exclusivamente pelo site, vão até 30 de junho, à exceção do Rumos Literatura, com prazo estendido até 31 de julho. Os interessados podem se inscrever em mais de um edital, desde que com projetos diferentes.
Durante o período de inscrição, haverá palestras, debates e oficinas em todas as capitais brasileiras. Para saber mais, conhecer os trabalhos selecionados nas edições anteriores e conferir a programação de eventos em todo o país, acesse: ww.itaucultural.org.br/rumos.
Site:

itaucultural.org.br/rumos

Dúvidas:

rumospesquisa@itaucultural.org.br
rumosmusica@itaucultural.org.br
rumosliteratura@itaucultural.org.br
rumosteatro@itaucultural.org.br

segunda-feira, 15 de março de 2010

Benzer uma cultura tradicional popular


No município onde moro, Guarda-Mor- MG, a benzição se faz presente e é procurada por aqueles que tem fé neste trabalho desenvolvido principalmente pelas pessoas mais antigas do lugar. Quando trabalhava na cultura desenvolvemos trabalhos referentes ao assunto e numa pesquisa de campo entrevistamos um ilustre cidadão que carinhosamente é chamado de Sr. Terto. Ele reza de quebrante, diarréia, vento caído, dor de cabeça e por ai vai. Usa galhinhos de ramo verde, palavras invocando Deus e Nossa Senhora e avisa "que quem não tem fé nem precisa procurar pela reza".Como forma de divulgar a cultura tradicional popular registro aqui neste blog as orações de benzição.

Tertulino Gomes da Cruz                                                                   
Data de nascimento- 27/04/1932

Benzer de quebrante ( Benzer de cobra-nome do dono da fazenda e nome da cobra)

• Todas as vezes em que for benzer alguém iniciar com as orações do Pai Nosso e Ave Maria

Benzer de Quebrante

À Nossa Mãe Maria Santíssima e a Nossa Mãe Maria Virgem pelas cinco chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Deus te fez, Deus te criou, Deus te batizou, Deus te crismou e Deus te consagrou.
Deus te salve cruz bendita, lá no céu ta escrita ( 3x)

Deus te salve casa santa lá no céu foi escrita (3x)

Deus e a Jesus que cure seus filhos e suas filhas (nome da pessoa)
Quero que Deus dá o poder de curar o mal ruim que está em (nome da pessoa)
Ar da noite, ar do dia, ar das estrelas, ar da lua, ar do sol, ar do dia, ar do tempo, ar das águas, ares preto, ares branco, ares amarelo.


Benzo ( nome da pessoa) de quebrante, mal olhado e vento virado.
Com dois eu lhe pus, com três eu lhe tiro, quando Deus pai, Deus Filho, Deus espírito Santo. Amém.

Nossa Senhora saiu para o mundo curando três mal, curando de feitiço, malefício, inveja, invição e olho ruim.
Com dois eu lhe pus, com três eu lhe tiro, com Deus Pai, Deus Filho, para sempre e Amém. Jesus

( Nome da pessoa) Em redor de _____________________ tem três conquista: São Pedro, São Paulo, São João Batista que defende do veneno, do feitiço, malefício, inveja, invição e olho ruim.
Com Deus eu lhe pus, com três eu lhe tiro, com Deus Pai, Deus Filho para sempre e Amém Jesus. (3x)

Benzer com três ramos: ( Ex: guiné, alecrim ou ramo verde)


Benzer de Cobreiro

Cobreiro bravo que corta?
Corta a cabeça, o meio e rabo.
Santa Iria perguntou a Santa Maria
Cobreiro bravo com que curaria

Com três palma do monte
Um Pai Nosso e uma Ave Maria ( 3x)

• Obs: Pega o ramo e circula ao redor do cobreiro falando as palavras (3x) para ele não aumentar e depois coloca o ramo para secar.


Oração para curar Dizipela ( benzer com um raminho)


Dizipela deu no tutano
Do tutano deu no osso
Do osso deu na carne
Da carne deu no sangue
Do sangue deu na pele
Da pele foi para as ondas do mar
Aonde não canta nem galo e nem galinha.


Oração para dor de cabeça de sol.

• Pano branco
• Garrafa branca com água (quando terminar de benzer jogar a água em água corrente)

Nossa Senhora saiu para o mundo
Sentou na pedra fria
Tirar sol e lua e sereno da cabeça de sua filha(o)
Pai Nosso, Ave Maria e oferece para Nossa Senhora do Desterro pra levar para as ondas do mar onde não canta nem galo e nem galinha.

domingo, 14 de março de 2010

Tombamento da Imagem de Santa Rita de Cássia

Tombamento e Restauração da Imagem Santa Rita de Cássia da Cidade de Guarda-Mor/MG

1- Quando se deu o Tombamento da Imagem de Santa Rita de Cássia?

R - Por meio do decreto 083/2006 em conformidade com a Lei Municipal nº 708/98 no dia 15/12/2006.
2- O que quer dizer tombamento?

R - Tombamento é uma forma de proteger um bem cultural sendo ele móvel ou imóvel. Ele não pode ser destruído, mutilado ou sofrer nenhuma intervenção sem prévia intervenção do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico Cultural
3- O que é tombamento móvel ou imóvel?

R- No nosso caso móvel é o Tombamento do casarão que fica na Fazenda Conceição de propriedade do Sr. José Fialho e tombamento imóvel é a imagem de Santa Rita de Cássia

4- Há no município formado o Conselho Municipal de Patrimônio Histórico Cultural?

R – Sim. Por meio do decreto de instituição 030 de 29 de abril de 1998.

5- Qual a importância do Tombamento da Imagem de Santa Rita de Cássia para o município de Guarda-Mor?

R - A imagem de Santa Rita dos Impossíveis é um bem cultural de valor inestimável para o nosso município. Do ponto de vista histórico basta lembrar que a Padroeira Santa Rita dos Impossíveis cedeu seu nome a Igreja Matriz e a própria Paróquia local. Em termos religiosos, podemos certamente dizer que a Imagem é fiel depositária de uma grande devoção popular observada na participação e envolvimento dos moradores locais durante a festa da Padroeira realizada anualmente no me de julho.

6- Quem trouxe a imagem de Santa Rita para o município?

R - Segundo entrevista concedida pelo Sr. Ivaí Pereira de Oliveira, na primeira metade do século XIX chegaria em Guarda-Mor procedente de Santana dos Patos, o Capitão Pedro Pereira Guimarães, ardente devoto de Santa Rita. Ele trazia consigo a imagem de Santa Rita dos Impossíveis, esculpida em madeira e policromada. Mudando se com sua esposa para Guarda-Mor Capitão Pedro então decidiu construir uma Capela para a Imagem de Santa Rita dos Impossíveis.

7 -O que é restauração?

R - A restauração é feita por especialista. No nosso caso ela foi feita pela restauradora Elayne Granado Lara formada em belas Artes pela UFMG. A imagem começou a ser restaurada no dia 12 de março e terminou no dia 23 de março sendo realizado todo o trabalho de restauração dentro da Casa Paroquial.

7- Quem proporcionou essa restauração da Imagem de Santa Rita?

R - Quem proporcionou a restauração foi a administração 2005 a 2008 que tem como objetivo valorizar, preservar e conservar os bens culturais da comunidade a fim de que se preserve o patrimônio cultural e reforce ao mesmo tempo os sentimentos de identidade cultural do nosso povo da nossa gente. Preservar para esta administração significa recurso e qualidade de vida.
8- O que vem a ser ICMS Cultural ?

R- EM 1995, UMA LEI VEIO AJUDAR OS MUNICÍPIOS A PRESERVAR O

PATRIMÔNIO...

Única em todo o país, a Lei n.º 13803 repassa recursos para os

municípios que preservam a sua memória e sua produção cultural. Ou seja: o município que possui lei de proteção, que possui um conselho municipal do patrimônio, que protege os bens culturais através do tombamento, que inventaria esse bens, que restaura e cuida recebe mais recursos para poder melhorar cada vez mais a sua qualidade de vida resguardando sua história , sua cultura e sua auto-estima.

Quando começamos este trabalho em 2005 a pontuação do ICMS Cultural do nosso município era de 0,6 pontos. Hoje diante de todo o trabalho e dedicação a pontuação do município é de 4,8 pontos maiores que muitos municípios mineiros históricos no Noroeste Mineiro, por exemplo, Paracatu considerada a maior cidade histórica do noroeste mineiro com 4,7 pontos e a cidade de Vazante com 2,85 pontos.

Todas essas confirmações estão no site do IEPHA – www.iepha.mg.gov.br

Reportagem – ano de 2008

Por: Rosângela Bianchi

Valeu a pena



Dedico esta música a minha filha Renata Bianchi pela formatura em
Enfermagem (Faculdade Anhanguera- Bauru-SP). Parabéns filha, valeu a pena...Continue sempre assim essa menina mulher forte, lutadora, sensível, meiga e acima de tudo grande profissional.

Pescador De Ilusões


O Rappa

Composição: O Rappa

Se meus joelhos

Não doessem mais

Diante de um bom motivo

Que me traga fé

Que me traga fé...



Se por alguns

Segundos eu observar

E só observar

A isca e o anzol

A isca e o anzol

A isca e o anzol

A isca e o anzol...



Ainda assim estarei

Pronto pra comemorar

Se eu me tornar

Menos faminto

E curioso

Curioso...



O mar escuro

Trará o medo

Lado a lado

Com os corais

Mais coloridos...

Valeu a pena

Êh! Êh!

Valeu a pena

Êh! Êh!

Sou pescador de ilusões

Sou pescador de ilusões...(2x)

Se eu ousar catar

Na superfície

De qualquer manhã

As palavras

De um livro

Sem final! Sem final!

Sem final! Sem final!

Final...

Valeu a pena

Êh! Êh!

Valeu a pena

Êh! Êh!

Sou pescador de ilusões

Sou pescador de ilusões...(2x)


Se eu ousar catar

Na superfície

De qualquer manhã

As palavras

De um livro

Sem final! Sem final!

Sem final! Sem final!

Final...


Valeu a pena

Êh! Êh!

Valeu a pena

Êh! Êh!

Sou pescador de ilusões...


Valeu a pena

Êh! Êh!

Valeu a pena

Êh! Êh!

Sou pescador de ilusões

Sou pescador de ilusões...

Valeu a pena

Valeu a pena

Sou pescador de ilusões

Valeu a pena

Valeu a pena

Sou pescador de ilusões

Sou pescador de ilusões

Valeu a pena!...

Música - To ligada

To ligada

Ei você meu cumpadre
Ei você minha cumadre
Acessa ai o meu blog
A arte de educar
Tô ligada...
Tô conectada
Tô na net
Que não é chiclete!!!
Mais prega que nem manchete!!!

Rosângela Bianchi                                                                                           
Artes teatro
Polo Paracatu/Unimontes

O que vem mais por ai?

Navegando nas ondas da net, criando blog, Orkut, MSN, e-mails, facebook, twitter, ufa... O que vem mais por ai? Serão esses os melhores meios de comunicação? Lembro-me com saudades dos tempos em que sentávamos na calçada para conversar com o vizinho e ia chegando outro e outro vizinho e as conversas iam longe. Quando pequena mamãe arrumava os nossos cabelos com Maria chiquinha, meia de bolinha dependurada e íamos na casa da vó Dolores, mãe do meu pai, passar o domingo, ouvir histórias contadas ao pé do fogão a lenha, com ares de mistério. Ali ficávamos até de tardezinha e nem víamos o tempo passar. Ao anoitecer meu pai colocava minhas irmãs menores no cano da bicicleta, no banquinho de trás e vinha empurrando com mamãe segurando nossas mãozinhas. Éramos felizes, conversávamos olhando nos olhos uns dos outros, ouvíamos a voz um do outro, sentíamos o cheiro e o calor humano um do outro.. Hoje já não temos tempo... tudo é muito rápido e exige de nós essa distância diante de uma tela de computador. Não podemos ver a expressão do olhar, perceber a emoção da voz e tão pouco sentir o calor humano do outro. Mas decididamente Orkut,e-mails,twitter,facebook, blog não dirão o que tenho que fazer e sim EU direi COMO,QUANDO irei fazer.Simplesmente e decididamente sou dona da minha vida.

O grupo de Arte teatro da UNIMONTES- Polo de Paracatu-MG é um pessoal pra lá de animado.É gente que faz acontecer e ama a realidade que constrói, portanto nada deterá o vôo dos participantes deste grupo.

sábado, 13 de março de 2010

"A arte de educar"

Acredito que educar no mundo de hoje com toda a tecnologia que nos rodeia é uma aventura tanto para pais como para nós educadores. De antena ligada pais e educadores devem estar a todo momento pois a criança de hoje usa a tecnologia com uma habilidade surpreendentemente fora do comum deixando nós adultos com cara de quem não sabe de nada.